Pular para o conteúdo

SAÍDA PELA DIREITA

“Saída pela direita” é uma história verídica, sobre um aperto muito grande que eu passei.


A muitos anos atrás, quando eu ainda era um pré-adolescente, morávamos na capital paulista. Naquela época a violência já era uma grande preocupação dos paulistanos.

Para evitar certos perigos e ameaças quanto a gente precisava se deslocar de um bairro para outro, uma estratégia comum era andar em ziguezague, ora pegando uma rua à direita, ora pegando uma à esquerda, sempre evitando as ruas principais, dominadas pelos pivetes dos bairros.

No entanto, num certo dia, ao pegar uma rua desconhecida, dei de frente com um grupo de uns vinte deles, jogando futebol num campinho de esquina. Abaixei a minha cabeça e fui caminhando, torcendo para passar despercebido.

Porém, um dos pivetes se incomodou comigo e gritou: “- Ei, maluco, tá fazendo o que por aqui?”. Um outro gritou: “Você é surdo, ô pivete? Nós estamos falando como você!”.

Eu sabia que não havia nada que eu pudesse falar para evitar ser espancado, pois cometi o grande “pecado” de ter invadido o território daqueles “cães”. Continuei andando de cabeça baixa, fazendo de conta que não era comigo.

Mas eles abandonaram o jogo, um deles pegou a bola e a colocou debaixo do braço (ainda me lembro que era uma linda “bola de capotão”, preta e branca) e todos vieram correndo pra cima de mim, dando-me empurrões e solavancos, intimidando-me e exigindo “explicações”. Fiquei totalmente sem reação.

Então, a saída desta terrível situação foi hilária. Não me lembro de ter pensado ou planejado o que fiz a seguir, mas, enquanto eles continuavam me oprimindo e me ameaçando, veio-me o instinto de fingir que era surdo-mudo.

Gesticulei bastante, soltei um grunhidos inaudíveis, dentre outras encenações, até que um deles se convenceu e disse para os demais: “- Deixem o coitado ir embora, ele é surdo e mudo, igual meu primo”.

Peguei a primeira rua à direita e consegui chegar em casa ileso… bem, quase ileso, pois minha barriga doía de tantas gargalhadas que eu dei pelo resto do caminho.

Eu ria sozinho, “quiném” um maluco de verdade.


Porque o Senhor dá a sabedoria; da sua boca é que vem o conhecimento e o entendimento. – Provérbios 2:6

 

Título: Saída pela direita
Autor: Pr Ronaldo Alves Franco
Fato verídico, ocorrido em meados de 1970.
Data: 20/07/2022

Deixe seu comentário logo abaixo.

Veja também nossos Artigos

Saída pela direita

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.