Pular para o conteúdo

MÃES DA BÍBLIA

“MÃES DA BIBLIA” foi o título escolhido para este estudo elaborado para ser uma homenagem adequada no Dia das Mães em nossas igrejas.

Sei de algumas igrejas que não comemoram estas datas especiais, especialmente pelo medo da idolatria. No entanto, é um medo sem fundamento, pois, a própria Bíblia, desde os Dez Mandamentos, nos orienta: “Honra a teu pai e a tua mãe, para que se prolonguem os teus dias na terra que o Senhor teu Deus te dá.” Êxodo 20:12

Nesta linha de pensamento, ressaltamos que as Escrituras registram a história de várias mães (mas, por uma questão de espaço e tempo, vamos citar apenas algumas delas):

  • Eva, a mãe que não teve mãe.
  • Sara, a mãe em idade avançada.
  • Joquebede, a mãe estrategista.
  • Ana, a mãe que foi difamada publicamente.
  • Isabel, a mãe com propósito.
  • Maria, a mãe de uma criança singular.


1ª) EVA, A MÃE QUE NÃO TEVE MÃE

Eva foi criada a partir de uma costela de Adão, logo, ela não nasceu como nascem os bebês, não foi amamentada, não teve o apoio de uma mãe, não tinha nenhuma referência sobre maternidade e não tinha com quem conversar e tirar suas dúvidas e receios. Enfrentou tudo sozinha.

Foi a primeira mãe da humanidade. A Bíblia não menciona o número total de filhos que Adão e Eva tiveram. Consta apenas que após terem tido Caim (Gênesis 4:1), Abel (Gênesis 4:2) e Sete (Gênesis 4:25), eles tiveram filhos e filhas (Gênesis 5:7).

A menção de Eva que fazemos aqui é uma forma de honrá-la e, também, de homenagear a todas as mamães que também não tiveram o apoio que mereciam em suas gestações, nos partos e nos pós-partos.


2ª) SARA, A MÃE EM IDADE AVANÇADA

Como esposa de Abraão, ela recebeu a promessa de que seria mãe de muitas nações, porém, precisou esperar bastante tempo até engravidar, e isso aconteceu quando ela já estava em idade avançada (Gênesis 21:2).

Mesmo que o casal, lá atrás, duvidou da promessa, eles retomaram o caminho da fé e foram recompensados por Deus com o privilégio de gerar e criar o seu filho com amor e retidão (evidenciados pelo caráter de Isaque).

A menção de Sara que fazemos aqui é uma forma de honrá-la e, também, de homenagear a todas as mamães que engravidaram “mais tarde” que o normal, muitas vezes sendo criticadas por parentes, amigos e até estranhos.


3ª) JOQUEBEDE, A MÃE ESTRATEGISTA

Por ordem do rei do Egito, os filhos dos hebreus deveriam ser mortos no momento do parto, pelas mãos das parteiras.

Por uma providência divina, Joquebede conseguiu ter o seu filho e o esconder por um bom tempo. Mas, como não poderia escondê-lo para sempre, elaborou um plano: Coloco-o em um cesto de junco, impregnado com betume e breu, e o soltou ao sabor da correnteza do rio, na esperança de que ele fosse encontrado e criado por alguém que não fosse do seu povo. Mais uma vez, por providência divina, Moisés foi encontrado pela filha do faraó e, sem saber quem era a mãe da criança, ela escolheu a própria mãe do menino, Joquebede, para o amamentar e criar. Moisés cresceu, foi levado ao palácio do Faraó e posteriormente tornou-se o salvador do povo hebreu.

A menção de Joquebede que fazemos aqui é uma forma de honrá-la e, também, de homenagear a todas as mamães que vivem elaborando estratégias para livrar seus filhos de todo o mal, evitar que eles comentam erros ou que caiam nas mãos dos inimigos ou que se envolvam com pessoas erradas.


4ª) ANA, A MÃE QUE FOI DIFAMADA PUBLICAMENTE

Ana não podia ter filhos e sofria muito por isso, pois a segunda esposa de seu marido, Penina, era fértil, ciumenta e maldosa, e vivia humilhando Ana. Numa das viagens a Jerusalém, Ana, de joelhos, se “derramou” diante de Deus, nem voz ela tinha, ficava apenas murmurando baixinho a sua dor e o seu sofrimento.

Nisto, o sacerdote Eli, um homem sem discernimento espiritual, repreendeu Ana publicamente, pois achou que ela estava bêbada. Ana não se revoltou, “deu a volta por cima” e explicou tudo direitinho para o sacerdote, que, ao perceber a gafe que tinha cometido, a abençoou com a promessa de um filho.

Ana prometeu a Deus que se Ele lhe concedesse o privilégio de ser mãe, ela lhe entregaria o menino. Ana foi abençoada e, depois que Samuel desmamou, ela o levou para ser criado dentro da casa de Deus. Samuel foi um dos personagens bíblicos mais importantes de todos os tempos, um homem de um caráter tal que, ao contrário de muitos, nas Escrituras não se encontra nenhum registro de algum deslize seu.

A menção de Ana que fazemos aqui é uma forma de honrá-la e, também, de homenagear a todas as mamães que já foram difamadas, mas foram fortes o suficiente para “dar a volta por cima”, pois seus olhos estavam fixos em Deus e não nos erros humanos.


5ª) ISABEL, A MÃE COM PROPÓSITO

Esta mulher fervorosa, que também não podia ter filhos, era fiel e obediente, e passava os seus dias servindo a Deus. Na sua velhice, um anjo lhe apareceu e lhe disse que ela teria um filho. Mesmo com a idade avançada, ela o gerou e o criou COM O PROPÓSITO  de ser aquele que prepararia o caminho para o Messias. Ela sabia da importância do papel do seu filho no Plano de Salvação preparado por Deus e, sem pestanejar, obedeceu ao SENHOR. (Lucas 1:41-45)

A menção de Isabel que fazemos aqui é uma forma de honrá-la e, também, de homenagear a todas as mamães que obedecem a Deus e criam seus filhos para os propósitos determinados pelo SENHOR.


6ª) MARIA, A MÃE DE UMA CRIANÇA SINGULAR

Dentre todas as mulheres do seu tempo, Maria foi a escolhida por Deus para uma missão única. Ao receber a visita do anjo lhe informando que ela geraria um filho singular, o Salvador do mundo, ela simplesmente respondeu: “Eis aqui a serva do Senhor”.

Criar Jesus, o Filho de Deus, seria uma tarefa muito grande para ela e José, um desafio que iria exigir deles muita oração, santificação de vida, conhecimento das Escrituras, cuidados especiais, zelo redobrado e vigilância constante, tanto no aspecto físico quanto nos demais aspectos (espiritual, social, emocional).

A menção de Maria que fazemos aqui é uma forma de honrá-la e, também, de homenagear a todas as mamães que têm filhos singulares e, muitas vezes, têm que se esforçar muitíssimo, por toda uma vida, para os criar e os manter nos caminhos do Senhor.


CONCLUSÃO

A Palavra de Deus sempre honrou as mamães. Não tenhamos medo de honrá-las também em nossas igrejas.

 

Título: Mães da Bíblia
Autor: Pr Ronaldo Franco.
Data: 03/05/2022

Deixe seu comentário logo abaixo.

Veja também nossos demais esboços: Esboços

Mães da Bíblia

Em seguida; Ainda mais; Do mesmo modo; Bem como; Contudo; Juntamente com; Apesar disso; Em outras palavras; Nesse sentido; Enfim; Em síntese; Em suma; Definitivamente; Afinal; Ainda mais; Do mesmo modo; Bem como; Contudo; Juntamente com; Apesar disso; Em outras palavras; Nesse sentido; Por exemplo;

1 comentário em “Mães da Bíblia”

  1. Sidney Ribeiro Balut

    Mãe é uma palavra tão carregada de sentimentos e ações virtuosas que formou-se no nosso subconsciente que a palavra seja sinônimo de amor. É um amor que se sacrifica, que se dedica, que se preocupa e age, que faz abnegações e que sofre para fazer o filho crescer saudável em todas as áreas, tanto física, como emocional e espiritual.

    A palavra é tão respeitosa que o título de “mãe em Israel” (2 Sm 20.19) era digno de respeito e honra. Quando homens não lideraram, a uma mulher coube a honra: “Eu, Débora, me levantei, levantei-me por mãe em Israel”( Jz 5.7). Deve-se notar que ela não disse: “levantei-me para ser general, comandante, chefe, rainha, etc”. Inspirada por Deus ela disse: “mãe em Israel”. Quão nobre é essa palavra: mãe!

    O trabalho de mãe é tão nobre que, às vezes, o próprio Deus usa a mesma linguagem que se dá a um trabalho de mãe: “Eu ensinei a andar a Efraim, tomei-os nos meus braços” (Os 11.3).

    Homens que negam a Deus, apelam para a teoria da evolução mas a Bíblia afirma a respeito de Eva: “mãe de todos os seres humanos” (Gn 3.20). A Bíblia afirma que todos os seres humanos são descendentes de uma única mulher! Mentira? Em 1987, a Dra. Rebeca L. Cann , pesquisando o DNA mitocondrial concluiu que todos os seres humanos vêm de uma mesma e única mulher! Eva, como mãe, ainda está presente em cada um de nós. É chamada de Eva mitocondrial, a mãe de todos os seres humanos.

    O nome mãe está tão associado a amor, bondade, sacrifício, carinho, sacrifício e muitas outras virtudes que, quando um homem faz uma coisa boa, de bondade, ajuda, proteção, amparo, cuidado, zelo, etc , tanto para com os seus como para os de fora, ele abre uma excessão e aceita o título que lhe dão: “Fulano é uma mãe”. Acaba sendo um elogio.

    Ser mãe, criar e educar os filhos nos caminhos do SENHOR é uma das maiores missões de uma mulher: “Será preservada através de sua missão de mãe” (1 Tm 2.15). Qual o papel que Deus designou para a mulher? Ser esposa e mãe e cuidar da sua família.

    Diz-se que na China, há um costume pagão que faríamos bem em imitar: a cada ano novo, todo homem ou menino, visita sua mãe, lhe leva um presente e lhe agradece pelo que ela fez por ele e então lhe pede a sua benção para o ano seguinte. Nossas mães merecem amor, respeito e gratidão.

    As mães têm o poder de influenciar os seus filhos em direção a um futuro sublime. Podemos citar, como exemplo, Joquebede , mãe de Moisés, e Maria, mãe de Jesus. Elas foram capazes de todos os sacrifícios por anos a fio.

    Criar e educar os filhos nos caminhos do SENHOR nos parece que Deus confiou muito mais às mulheres do que aos homens. Sejamos honestos, elas são mais capazes do que nós, homens. E o grande ministério não foi dado aos homens mas às mulheres: o de ser mãe!

    Esse ministério talvez não apareça muito perante os olhos dos homens mas ele certamente muito agrada a Deus!

    “A mulher que teme ao SENHOR, essa será louvada” (Pv 31. 30b).

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.