Pular para o conteúdo

LEVÍTICO 3 – Os Sacrifícios Pacíficos: Amor a Deus, Graça, Consagração

  • RECAPITULANDO
  • “Levítico 3 – Os Sacrifícios Pacíficos: Amor a Deus, Graça, Consagração” é o título desta série de estudos que visa (re)aproximar o povo de Deus deste livro bíblico que tem sido (lamentavelmente) ignorado por muitos cristãos e líderes religiosos. Contudo, ele é tão inspirado quanto Gênesis e Êxodo, tão atual como Mateus e Apocalipse, pois a Palavra de Deus nunca caduca, perde a validade ou desvaloriza. 
  • “Toda a Escritura é divinamente inspirada, e proveitosa para ensinar, para redarguir, para corrigir, para instruir em justiça; para que o homem de Deus seja perfeito, e perfeitamente instruído para toda a boa obra.” – 2 Timóteo 3:16,17
  • “Em toda a Bíblia, não há outro livro como Levítico, com tantas palavras proferidas pelo próprio Deus”. (Andrew Bonar)
  • A Bíblia toda foi escrita por homens inspirados por Deus, com exceção dos Dez Mandamentos, que Deus mesmo escreveu. Em contrapartida, em Levítico, Deus “é o orador direto em quase todas as páginas, e Suas palavras foram registradas exatamente como as pronunciou. Este fato não nos deixa outra escolha, a não ser estudar Levítico com todo interesse e atenção” (Bonar).

SACRIFÍCIOS PACÍFICOS:  Eram ofertas voluntárias, inteiramente espontâneas (Lv 19.5), geralmente em cumprimento a um voto feito ao Senhor (Nm 6.14 e 17). Depois do ritual, era realizada uma festa solene de ação de graças, na qual, retiradas as partes dos sacerdotes, o animal era consumido numa refeição especial. 

Assim como de costume, listo a seguir algumas das LIÇÕES espirituais que podemos tirar do Capítulo 3 de Levítico:

  • AMOR A DEUS
  • GRAÇA
  • CONSAGRAÇÃO 
1ª LIÇÃO: OFERTA SEM DEFEITO: AMOR A DEUS

“E se a sua oferta for sacrifício pacífico; se a oferecer de gado, macho ou fêmea, a oferecerá sem defeito diante do SENHOR.”Levítico 3:1

Desde que as ofertas foram instituídas, a questão da qualidade da oferta ficou estabelecida. Não podia ter defeito.

Do mesmo modo, este princípio se aplica ainda hoje, pois, se de fato amamos ao Senhor, desejamos ofertar-lhe o nosso melhor, assim como também o fazemos quando queremos presentear alguém que amamos muito. Nossa intenção sempre é que a pessoa presenteada goste e se agrade do nosso presente.

O próprio Deus assim o fez, quando ofereceu um sacrifício pacífico para nos reconciliar consigo mesmo, ELE NOS DEUS O QUE TINHA DE MELHOR, SEU PRÓPRIO FILHO.

“Tendo sido, pois, justificados pela fé, temos paz com Deus, por nosso Senhor Jesus Cristo; pelo qual também temos entrada pela fé a esta graça, na qual estamos firmes, e nos gloriamos na esperança da glória de Deus.” – Romanos 5:1,2

“E tudo isto provém de Deus, que nos reconciliou consigo mesmo por Jesus Cristo.” – 2 Coríntios 5:18

2ª LIÇÃO: ACESSÍVEL A TODOS: GRAÇA

“E se a sua oferta for de gado miúdo por sacrifício pacífico ao Senhor, seja macho ou fêmea, sem defeito o oferecerá.” – Levítico 3:6
“Se oferecer um cordeiro por sua oferta, oferecê-lo-á perante o Senhor” – Levítico 3:7
“Mas, se a sua oferta for uma cabra, perante o Senhor a oferecerá” – Levítico 3:12

Em seguida, além da oferta de gado (graúdo), o texto fala de:

  • Gado miúdo.
  • Cordeiro.
  • Cabra.

Essa ideia nos remete ao acesso à graça de Deus em Cristo Jesus, extensiva a todos os seres humanos. Deus não faz acepção de pessoas, sejam ricos ou pobres.

“Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna.” – João 3:16

“Porque, para com Deus, não há acepção de pessoas.” – Romanos 2:11

“Pois isto é bom e agradável diante de Deus nosso Salvador, o qual deseja que todos os homens sejam salvos e cheguem ao pleno conhecimento da verdade.” – 1 Timóteo 2:3,4

3ª LIÇÃO: CONSAGRAÇÃO

“Depois oferecerá, do sacrifício pacífico, a oferta queimada ao Senhor; a gordura que cobre a fressura, e toda a gordura que está sobre a fressura, e ambos os rins, e a gordura que está sobre eles, e junto aos lombos, e o redenho que está sobre o fígado com os rins, tirará. E os filhos de Arão queimarão isso sobre o altar, em cima do holocausto, que estará sobre a lenha que está no fogo; oferta queimada é, de cheiro suave ao Senhor.” – Levítico 3:3-5

“Primeiro, porém, o animal foi sacrificado com um ritual de sangue igual ao do holocausto. Então a porção do Senhor, consistindo nas partes mais ricas e vitais do animal, foi queimada no altar, provavelmente para indicar consagração, como no holocausto (Levítico 3:1-5; 7:22-27).”

“Vós também, como pedras vivas, sois edificados casa espiritual e sacerdócio santo, para oferecer sacrifícios espirituais agradáveis a Deus por Jesus Cristo.” – 1 Pedro 2:5

CONCLUSÃO

Algumas das LIÇÕES espirituais que podemos tirar deste capítulo são:

  • Amor a Deus
  • Graça
  • Consagração

 

Título: Levítico 3 – Os Sacrifícios Pacíficos: Amor a Deus, Graça, Consagração
Bibliografia: Bridgeway Bible Commentary; de Fleming, D.
Adaptação: Pr Ronaldo Franco
Data: 11/07/2022

Deixe seu comentário logo abaixo.

Veja também nossos demais esboços: Esboços

Levítico 3

Antes de mais nada, Senhor.
Antes de mais nada, Senhor, fazei de mim um instrumento de vossa paz.
Acima de tudo, onde houver ódio, que eu leve o amor.

Por outro lado, onde houver discórdia, que eu leve a união.
Em síntese, onde houver dúvidas, que eu leve a fé.
Onde houver erros, que eu leve a verdade.

Assim como, onde houver ofensa, que eu leve o perdão.
Assim como, onde houver ofensa, que eu leve o perdão.
Contudo, se houver desespero, que eu leve a esperança.
Igualmente, se houver tristeza, que eu leve a alegria.

 

1 comentário em “Levítico 3 – Os Sacrifícios Pacíficos: Amor a Deus, Graça, Consagração”

  1. Nós, cristãos do século XXI, temos dificuldade de entender esses muitos sacrifícios do sistema dado em Levítico. Para nós parece um emaranhado de coisas complicadas. Porém, esses sacrifícios sempre nos ensinam lições.

    O saudoso professor de teologia do Antigo Testamento_ Antonio Neves de Mesquita_ em seu livro “Estudo no Livro de Levítico, 3ª edição, páginas 51s, 1980″ nos diz que ” a oferta de paz significa comunhão e paz entre o ofertante e Deus” [após o perdão ter sido estabelecido em outro sacrifício]. E que “não era oferta expiatória mas sim oferta do crente perdoado, era uma cerimônia das festas e também um memorial”.

    O sistema sacrificial nos mostra duas coisas: não podemos nos aproximar de Deus de qualquer jeito e também que ninguém pode aparecer vazio diante do SENHOR. Cada um de nós tem de ofertar algo de si para o SENHOR: seus recursos, seu amor, seu tempo, sua inteligência, sua disponibilidade, sua voluntariedade, enfim, todo o seu ser.

    Isso nos é mostrado nas diversas ofertas que o israelita tinha de fazer.

    Hoje, nossas ofertas para Deus não incluem animais mas sim a nós mesmos! “Rogo-vos… que apresenteis os vossos corpos por sacrifício vivo, santo e agradável a Deus, que é o vosso culto racional” (Rm 12.1). Acredito que esse tipo de sacrifício é de qualidade superior porque diz respeito a 24h / dia.

    Os cristãos oferecem um holocausto perene e, ao mesmo tempo, uma oferta de paz simbolizando comunhão e agradecimento pelo sacrifício vicário e redentor de Cristo por nós.

    Para quem não sabia, há muitas diferenças entre os sacrifícios de Israel e os de outros povos. Os sacrifícios de outros povos foram criados pelos homens ou pelos demônios, podiam imitar os das demais outras nações e podiam ainda ter coisas abomináveis para o SENHOR. Já os sacrifícios de Israel foram dados por Deus, não podiam imitar os de outros povos e não podiam ter coisas abomináveis como: adivinhação, agouros, alucinação mística, automutilações, prostituição sagrada, sacrifícios humanos, sacrifícios pelos mortos nem hecatombe [ =sacrifício de cem reses].

    É por isso que no verso 2 de Romanos 12 lemos: ” E não vos conformeis com este século [=mundo ] . Até nas leis sacrificiais aprendemos que ” Só o SENHOR é Deus! Só o SENHOR é Deus! ” (1 Rs 18. 39 _ ACF) .

    Outra coisa interessante é que o animal ofertado podia ser macho ou fêmea mas sem defeito. Isso aponta para a obra perfeita de Cristo, o que não cabe nenhum acréscimo como querem algumas seitas por aí, e que, o ser macho ou fêmea, nos indica que todos podem ter comunhão e paz com Deus, tanto o homem como a mulher.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.