Pular para o conteúdo

LEVÍTICO 2 – As Ofertas de Manjares: Reconhecimento, Consagração, Sacerdócio Santo

  • “Levítico 2 – As Ofertas de Manjares: Reconhecimento, Consagração, Sacerdócio Santo” é o título desta série de estudos que visam (re)aproximar o povo de Deus deste livro bíblico que tem sido (lamentavelmente) ignorado por muitos cristãos e líderes religiosos. Contudo, ele é tão inspirado quanto Gênesis e Êxodo, tão atual como Mateus e Apocalipse, pois a Palavra de Deus nunca caduca, perde a validade ou desvaloriza. 
  • “Toda a Escritura é divinamente inspirada, e proveitosa para ensinar, para redarguir, para corrigir, para instruir em justiça; para que o homem de Deus seja perfeito, e perfeitamente instruído para toda a boa obra.” – 2 Timóteo 3:16,17
  • “Em toda a Bíblia, não há outro livro como Levítico, com tantas palavras proferidas pelo próprio Deus”. (Andrew Bonar)
  • A Bíblia toda foi escrita por homens inspirados por Deus, com exceção dos Dez Mandamentos, que Deus mesmo escreveu. Em contrapartida, em Levítico, Deus “é o orador direto em quase todas as páginas, e Suas palavras foram registradas exatamente como as pronunciou. Este fato não nos deixa outra escolha, a não ser estudar Levítico com todo interesse e atenção” (Bonar).

Assim como de costume, listo a seguir algumas das LIÇÕES espirituais que podemos tirar do Capítulo 2 de Levítico:

  • Reconhecimento
  • Consagração
  • Sacerdócio Santo
1ª LIÇÃO: RECONHECIMENTO

“E quando alguma pessoa oferecer oferta de alimentos ao SENHOR, a sua oferta será de flor de farinha, e nela deitará azeite, e porá o incenso sobre ela; e a trará aos filhos de Arão, os sacerdotes, um dos quais tomará dela um punhado da flor de farinha, e do seu azeite com todo o seu incenso; e o sacerdote queimará como memorial sobre o altar; oferta queimada é, de cheiro suave ao Senhor.”Levítico 2:1,2

Sobre a  oferta de cereais (ou manjares), observa-se que os produtos oferecidos vieram do alimento comum do povo. Essas ofertas eram o reconhecimento do povo a Deus de que recebiam dele provisões diárias. Os produtos oferecidos foram, portanto, um presente e um agradecimento. A oferta de vinho, às vezes chamada de oferta de bebida, tinha um significado semelhante (ver Levítico 23:13,18,37).

Igualmente ao ensino do Novo Testamento: “Em tudo dai graças, porque esta é a vontade de Deus em Cristo Jesus para convosco.” 1 Tessalonicenses 5:18

2ª LIÇÃO: CONSAGRAÇÃO

“E o que sobejar da oferta de alimentos, será de Arão e de seus filhos; coisa santíssima é, das ofertas queimadas ao Senhor.”Levítico 2:3

Parece que as ofertas de cereais e vinhos nunca foram oferecidas sozinhas, mas sempre com ofertas queimadas e ofertas pacíficas ( Números 15:1-10). Isso mostrou que a consagração a Deus (como representada na oferta queimada) e a comunhão com Deus (como representada na oferta pacífica) não eram separadas dos assuntos comuns da vida.

Contudo, “A graça do Senhor Jesus Cristo, o amor de Deus e a comunhão do Espírito Santo sejam com todos vocês.” 2 Coríntios 13:14

3ª LIÇÃO: SACERDÓCIO SANTO

“Nenhuma oferta de alimentos, que oferecerdes ao Senhor, se fará com fermento; porque de nenhum fermento, nem de mel algum, oferecereis oferta queimada ao Senhor.”Levítico 2:11

No ritual da oferta de cereais, o sacerdote queimou um punhado da comida com o sacrifício; na oferta de vinho, derramou um pouco do vinho sobre o sacrifício. Qualquer alimento que permanecesse pertencia aos sacerdotes (Levítico 2:1-10).

Fermento e mel, por causa de sua tendência a estragar, não deveriam ser oferecidos no altar. No entanto, como grãos e outras frutas, eles poderiam ser oferecidos como primícias, graças a Deus por sua provisão dos produtos da terra (Levítico 2:11-16).

“A lei da oferta de cereais” enfatizava que os sacerdotes tinham que estar em um estado de santidade cerimonial quando comiam a parte do sacrifício que não era queimada no altar (Levítico 6:14-18). Assim como havia uma oferta queimada contínua, havia também uma oferta contínua de cereais, que os sacerdotes pegavam da própria comida e ofereciam manhã e tarde. Os sacerdotes, assim como o povo, tinham que reconhecer que Deus era seu provedor diário (Levítico 6:19-23; Êxodo 29:38-42).

Em outras palavras, “Vós também, como pedras vivas, sois edificados casa espiritual e sacerdócio santo, para oferecer sacrifícios espirituais agradáveis a Deus por Jesus Cristo.” 1 Pedro 2:5

CONCLUSÃO

Algumas das LIÇÕES espirituais que podemos tirar deste capítulo são:

  • Reconhecimento
  • Consagração
  • Sacerdócio Santo

 

Título: Levítico 2 – As Ofertas de Manjares: Reconhecimento, Consagração, Sacerdócio Santo
Bibliografia: Bridgeway Bible Commentary; de Fleming, D.
Adaptação: Pr Ronaldo Franco
Data: 11/07/2022

Deixe seu comentário logo abaixo.

Veja também nossos demais esboços: Esboços

Levítico 2

1 comentário em “Levítico 2 – As Ofertas de Manjares: Reconhecimento, Consagração, Sacerdócio Santo”

  1. RECONHECIMENTO E GRATIDÃO _ Toda a Lei da Torá apontava para Cristo e, por isso, Jesus falou: “Ele [Moisés] escreveu a Meu respeito” ( Jo 5.44).

    O capítulo 1 de Levítico fala de holocausto tipificando a morte vicária de Cristo; e o capítulo 2 fala de oferta de alimentos ( ou de cereais ou manjares) tipificando a vida de Cristo.

    Parece-nos que , por Nm 15. 1-4, o holocausto e a oferta de alimentos estavam sempre juntos. Para os nossos dias, devemos, a todo instante, reconhecer o sacrifício redentor e vicário de Cristo a nosso favor e sermos-lhE grato pela vida que Ele nos dá, vida biológica, espiritual e eterna.

    “…louvando a Deus, com salmos e hinos e cânticos espirituais, com gratidão em vossos corações” ( Cl 3.16b).

    A oferta de manjares mostrava que Israel dependia do SENHOR para a sua sobrevivência. Ofertando uma parte do alimento diário, Israel estava mostrando agradecimento a Deus pela provisão.

    E, em toda oferta, dever-se-ia oferecer o melhor que o adorador possuísse. E o nosso melhor é todo o nosso ser com o nosso coração!

    CONSAGRAÇÃO E COMUNHÃO _ “Ser-me-eis santos, porque Eu , o SENHOR, sou santo” ( Lv 20.26a). “Fiel é Deus, pelo qual fostes chamados à comunhão de seu Filho Jesus Cristo nosso Senhor” ( 1 Co 1.9).

    Essa oferta do verso 3 incluía uma porção que sobrava, “o que ficar” ( ARA) e que pertencia aos sacerdotes para as suas provisões. Temos aqui uma oferta que não era totalmente para Deus ( como no holocausto) mas uma parte ia para os sacerdotes. Isso é um sinal para nós de que não podemos adorar a Deus ignorando as necessidades do nosso próximo. Essa oferta era considerada “cousa santíssima” e só podia ser comida dentro das dependências do Tabernáculo. As coisas de Deus devem ser santas e não devem ser mantidas em comunhão com o mundo! Não podemos servir a Deus de qualquer maneira, segundo o nosso bel prazer. Ele exige consagração e comunhão conforme Suas regras.

    SACERDÓCIO SANTO _ O verso 11 fala que a oferta tem de ser sem fermento e sem mel. Fermento é um fungo bacteriano e um símbolo do erro, do pecado e da corrupção. O mel também por causa da fermentação não podia ser utilizado aqui. Isso aponta para a obra de Cristo que não tem engano nem corrupção.

    Mas era preciso adicionar sal à oferta ( verso 13 ) , sinal da aliança entre Deus e Israel, mostrando que a aliança era indissolúvel, incorruptível e inviolável, uma vez realizada.

    Se o crente é o “sal da terra” como disse Jesus em Mt 5.13, então ele não pode ser uma pessoa corrupta. Tem de ser santo e consagrado: ” Eu sou o SENHOR vosso Deus: portanto vós vos consagrareis e sereis santos, porque Eu sou santo” ( Lv 11. 44). “…nos escolheu nEle … para sermos santos e irrepreensíveis perante Ele; e em amor” ( Ef 1.4).

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.