Pular para o conteúdo

Estudos Especiais em I Coríntios preparados pelo Rev Silas Matos Pinto
[email protected]

8º – A PUREZA DO EVANGELHO

1 Coríntios 2.1-3 – “Eu, irmãos, quando fui ter convosco, anunciando-vos o testemunho de Deus, não o fiz com ostentação de linguagem ou de sabedoria. Porque decidi nada saber entre vós, senão a Jesus Cristo e este crucificado. E foi em fraqueza, temor e grande tremor que eu estive entre vós”.

Faz algum tempo, ainda era criança quando fui passear na fazenda Camaçari, em Côcos, na Bahia. Nesse passeio eu pude ver um grande espetáculo da natureza. Diante de mim não havia nenhuma cachoeira ou raios ou qualquer outra manifestação espetacular do poder da natureza. Havia apenas uma pequena nascente de águas cristalinas. O “Olho d’água” ficava numa pequena mata e as águas escorriam suavemente, mas com o tropel dos visitantes a água se agitava e a areia se revolvia com violência cada vez maior. A areia do local também dava o seu espetáculo à parte: ao jogar um punhado de areia de uma mão à outra um som rouco ecoava, deixando todos os visitantes admirados. A água cristalina e pura era o que havia de mais delicioso e refrescante, principalmente quando se estava sob o sol baiano. Esse belo local não existe mais. O desmatamento, o uso indiscriminado do local e o uso de bombas para matar os pouquíssimos peixes levou aquele local à ruína. Hoje, no lugar da nascente o que resta é um monte de areia seca e onde corria um belo córrego há somente mato. As pessoas não gostam de preservar o que é puro. Usam os recursos da natureza sem o devido cuidado. Sujam as margens dos rios com seu lixo e dejetos até que um dia o belo local turístico é abandonado por causa da sujeira dos próprios visitantes.
O evangelho de Jesus é puro e simples. Jesus disse: “Quem crer em mim, rios de águas vivas fruirão do seu interior”; “Quem crer em mim será salvo”; “Quem crer em mim, ainda que esteja morto viverá”.  Multidões ouviram essa mensagem da boca de Jesus e da sua igreja e se converteram. O evangelho puro e simples de Jesus fez o seu papel de transformar homens perdidos em homens salvos.
As pessoas que ouviram essa mensagem se tornaram a Igreja do Senhor. Seu papel primordial era propagar esse evangelho simples e puro ao mundo para que muitas outras pessoas se salvassem, mas a igreja tomou o rumo da acomodação dentro de suas paredes. Jesus não criou a igreja para estar nos moldes que tem hoje. Quando a igreja de Jerusalém se acomodou e passaram a viver apenas para comunhão consigo mesma, Deus os espalhou para que anunciassem o seu evangelho ao mundo. Quando um grupo fica muito tempo junto, logo começam a surgir os problemas, como aconteceu com a igreja primitiva, levando à eleição de diáconos. Do mesmo modo, como os crentes atuais se acomodaram, não trabalhando para Deus, mas passando a ser espectadores de cultos, aprendendo muito, mas guardando o conhecimento apenas para si, passaram a ser críticos e a exigir coisas novas para se satisfazerem nos cultos. Com isso o evangelho puro e simples de Jesus começou a sofrer com a poluição de novas idéias. Poluíram o evangelho de Jesus e hoje ele é quase que irreconhecível. Pregar que Jesus é o único salvador se tornou uma mensagem velha e rejeitada.
O abandono e o mal trato que aconteceu com o olho d’água da Bahia está sendo vivido pelo Evangelho de Jesus Cristo. A cada dia aparecem mais novidades, às vezes arrepiantes. As novas idéias são criadas e colocadas em prática com o fim de arrebanhar mais pessoas para as igrejas. A verdade não tem sido levada em conta ao pensar no aumento do número de membros das igrejas, pois o que parece importar são apenas os resultados. Muitos dos que se dizem crentes estão se portando de maneira vergonhosa e crendo em coisas absurdas, por exemplo: Se o pastor disser que se entrar na igreja pulando com um pé só possibilita a cura de doenças e a obtenção de prosperidade, logo, logo as lojas de sapato vão vender apenas um pé do par de sapatos, isso porque muitos crentes andarão como “sacis pererês” porque aprenderam que desse modo alcançam graças divinas.
Vivemos um tempo de crentes despreparados e preguiçosos. Para muitos aprender, cansa. Acabou-se a sede pelo saber. Do povo que freqüenta as igrejas apenas um pequeno número desses sabe usar a Bíblia. Muitos não sabem quais são os livros que compõe a Bíblia e se o pregador pedir para abrir a Bíblia no livro de“Abraão capítulo cinco”, por exemplo, muitos serão os crentes que ficarão ansiosos para encontrar o texto, sem saber que não existe esse livro na Bíblia. É por isso que as novidades perniciosas têm tanta liberdade. Apesar de andar com ele nas mãos o povo das igrejas não conhece o Livro Sagrado de Deus. A ignorância do povo de Deus tem permitido a poluição do Evangelho.
O Evangelho Verdadeiro tem sido pouco difundido. As pessoas parecem estar cansadas de ouvir sobre a salvação futura e sobre o Filho de Deus que morreu na Cruz. Querem ouvir e alcançar a salvação imediata dos problemas diários que enfrentam. Assim como Israel fez no passado, ao dizer aos profetas que profetizassem apenas o que era bom e agradável, muitos continuam desejando ver pastores se rasgando de gritar no púlpito, pronunciando palavras que lhes agradam, que não fala contra o pecado, mas que promete riquezas, saúde e paz nesse mundo. Desejam ver grupos de louvor que os fazem chorar de emoção. Querem se emocionar, mas não querem chorar por terem pecado contra Deus. Falar sobre a condenação por causa do pecado está fora de moda. Desejam tudo, menos o Evangelho de Jesus. Quando ouvem o Evangelho se cansam e dormem como os discípulos de Jesus dormiram enquanto ele orava.
O Evangelho de Jesus não permite impurezas. É sobre isto que vamos estudar nesse texto. O nosso tema é PRESERVANDO A PUREZA DO EVANGELHO.

Quando é que o Evangelho é preservado puro? Em primeiro lugar veremos que o Evangelho será preservado puro quando  PESSOAS SE DISPUSEREM A EVANGELIZAR O PRÓXIMO.  “Eu, irmãos, quando fui ter convosco…”.
Em Mateus 9.37, depois de Jesus olhar a multidão e se compadecer dela, ele olhou para os seus discípulos e disse: “A seara, na verdade, é grande, mas os trabalhadores são poucos”. Jesus tinha um carinho todo especial para com os homens. Ele os olhava com compaixão e realmente se envolvia com o sofrimento deles. Ele os via como necessitados e carentes que precisavam do seu cuidado. Ele sabia que a religião predominante não se importaria com a necessidade deles e, então, ele se voltou para os seus discípulos com o intuito de fazê-los participantes desse seu sentimento. Mas o próprio Jesus já avisou que seriam poucos os homens que se disporiam à essa tarefa. Ele os induziu a orar, dizendo: “Rogai, pois, ao Senhor da seara que mande trabalhadores para a sua seara”.
As pessoas estavam necessitadas de salvação e cuidados quando Jesus as contemplou, e continuam assim hoje. Mesmo tendo à sua disposição os cultos e músicas evangélicas nos rádios e televisão elas necessitam do corpo-a-corpo. Precisam ouvir o evangelho particular, mostrando a elas que a mensagem que estão ouvindo foi deixada para elas também. Essa tarefa evangelística foi deixada nas mãos da igreja. Cabe a cada um de nós irmos atrás de todos os necessitados da Palavra de Deus para abrirmos os seus olhos para a realidade de que necessitam do salvador e que sem ele todos estão perdidos nesse mundo e continuarão perdidos na eternidade.
Felipe foi levado pelo Espírito Santo para um deserto. Ele poderia pensar que Deus o estava desperdiçando naquele local, pois não havia ninguém. Logo ele que estava cheio do Espírito Santo e num ministério frutífero, mas Deus o queria realizando um ministério particular naquele momento. Deus queria salvar um homem em particular. É que estava passando por ali um homem que tinha nas mãos o livro do profeta Isaías. Ele estava lendo a Bíblia sem entender o que estava lendo. Deus enviou Felipe com a tarefa de ensiná-lo sobre a verdade pura e cristalina do evangelho.
Assim como Felipe, a sua tarefa é ir atrás das pessoas e indagar sobre o seu entendimento do que está escrito na Bíblia. Não espere que as pessoas venham até você. Felipe não esperou e você não pode esperar. O resultado é que o eunuco se converteu com as explicações de Felipe, assim como pessoas se converterão quando você se dispuser a se expor ao risco de sofrer pela verdade do evangelho.
Não é fácil ser um pregador do evangelho puro. As pessoas começam a olhá-lo atravessado e taxá-lo de antiquado e de outros adjetivos pejorativos. Até entre crentes, por causa dos desvios doutrinários, quando você pregar o evangelho puro muitos irão te ridicularizar e contestar sua mensagem. Mas é necessário que você suporte com perseverança, sem vacilar ou abrir mão de suas convicções e de sua tarefa de ser um propagador do evangelho de Jesus Cristo.
O evangelho será mantido puro e cristalino quando pessoas se dispuserem a evangelizar o próximo. Paulo disse: “Eu, irmãos, quando fui ter convosco…”. Ele se expôs: Eu, irmãos. Muitas pessoas, ao falar sobre evangelização, não tem nada para falar de suas próprias experiências. Dependem sempre do exemplo alheio:“Tal pessoa trabalhou e levou tantas pessoas a Cristo”. Não tem nada do que dizer do seu próprio trabalho. Paulo foi corajoso e se expôs ao risco de perder até sua vida no intuito de fazer o evangelho puro e cristalino chegar até os confins da terra.
Quando a mensagem verdadeira não é pregada, os falsos mestres aparecem e ensinam o erro como verdade. Se muitas pessoas se empenhassem em ensinar o evangelho puro e simples de Jesus, os falsos seriam desmascarados e o ensino verdadeiro prevaleceria. Esse é o seu papel, meu irmão. Ainda há muitas vagas para transmissores do evangelho de Cristo.
Quando é que o Evangelho é preservado puro? Em segundo lugar veremos que o Evangelho é preservado puro quando PESSOAS ENSINAM APENAS O EVANGELHO. “Anunciando-vos o testemunho de Deus”.
Sou pastor e sei o quanto é difícil pregar apenas o evangelho. As tentações são constantes, pois todos os pastores desejam ver suas igrejas crescerem. O problema é que são poucas as pessoas que se interessam pelo evangelho do modo como ele é. Jesus nos deixou uma mensagem belíssima de salvação, mas ao mesmo tempo nos advertiu dos problemas que os fiéis enfrentariam. Seriam perseguições, tentações, privações e até morte. Ele não prometeu vida mansa aos homens que lhe fossem fiéis, pelo contrário, advertiu sobre as dores que enfrentariam. Essa não é a boa notícia que o povo deseja.
O desafio é manter-se fiel aos preceitos puros e cristalinos do evangelho. É difícil se satisfazer apenas com promessas futuras. O povo não quer promessas, ele deseja realizações presentes. O problema é que o evangelho de Jesus não promete essas realizações de maneira clara ou deixa afirmações para crermos que elas serão possíveis. Jesus nos garante os céus e sua Palavra nos ensina o cuidado que Deus tem com seus filhos, mas esse cuidado não nos permite afirmarmos que bênçãos terrenas e curas se concretizarão nesse mundo. Podemos afirmar o cuidado divino, mas não podemos especificar como será a manifestação do cuidado de Deus sobre a vida do seu servo. Se afirmarmos tais promessas poderemos estar adulterando o conteúdo do evangelho. Fazendo promessas de bênçãos imediatas nós agradamos aos homens e os atraímos às igrejas, mas também, fraudamos o evangelho e condenamos à perdição eterna àqueles que atraímos com mensagens falsificadas do evangelho. O desafio é ser fiel ao evangelho mantendo-o como está registrado na Bíblia, quer muitos se convertam ou não. Essa fidelidade é cobrada de todos os pregadores do evangelho.
No interior do nosso país os fazendeiros vendem leite na porta das casas. Dizem que o leite que vendem é puro, mas nem sempre é. Na sua maioria o leite é“batizado” com água para render mais. O mesmo é feito com o mel de abelhas, que é “batizado” com melado de açúcar. O aumento fraudulento tem o objetivo de fazer render o produto e trazer mais lucros ao produtor. Usando a mesma técnica muitos pregadores têm “batizado” o evangelho. No afã de fazer a igreja encher pregadores tem misturado ao evangelho alguns elementos novos e perniciosos. Tais pregadores não sabem o mal que estão fazendo aos seus ouvintes. O mel“batizado”, com pouco tempo cristaliza e perde o seu valor comercial. Do mesmo modo o evangelho misturado às novidades pode até encher igrejas, mas perde o seu valor para a salvação de almas. As igrejas ficam lotadas de pessoas que creram nas promessas que lhes foram feitas, mas estes se tornarão crentes perdidos, pois creram num evangelho falsificado que não salva ninguém. Foram enganados com a mensagem falsa do evangelho “batizado”.
O evangelho é mantido puro e cristalino quando pessoas ensinam apenas o evangelho verdadeiro. Paulo disse: “Eu, irmãos, quando fui ter convosco anunciando-vos o testemunho de Deus.  Paulo, após sua conversão, foi para a região da Arábia e depois de um longo tempo começou a pregar o evangelho da salvação pela graça de Deus. Essa é uma mensagem que põe o homem na dependência de Deus para ser salvo. O apóstolo Pedro achou o ensino de Paulo difícil de entender, e muito mais difícil é propagá-lo do modo como ele é. Paulo se dispôs a ensinar o evangelho da graça de Deus e foi fiel aos preceitos verdadeiros até sua morte. O objetivo de Paulo era “anunciar o testemunho de Deus”. O evangelho adulterado não proclama o testemunho de Deus, pelo contrário, o nega.

A Bíblia é o testemunho de Deus. Ela inicia contando como Deus criou o mundo perfeito e colocou nele o homem que o traiu. Ela testemunha que Deus deu novas oportunidades e os homens continuaram pecando contra ele. Testemunha que Deus enviou o seu único Filho para morrer por esse homem traidor e salvá-lo, e que ele continua chamando o homem para ser salvo, até o dia que as portas se fecharão e o juízo acontecerá. Aí a Bíblia testemunha que o Jesus Salvador será o juiz impiedoso com aqueles que o trataram com desprezo.
A tarefa de pregar o evangelho puro é minha, como pastor, e também tua, como membro do corpo de Cristo. Como pastor eu tenho a tarefa de ensinar à igreja a doutrina correta, e como servo de Deus tenho a tarefa particular de propagar o evangelho. Do mesmo modo a igreja tem a obrigação de aprender o que lhe é ensinado e como servos têm a obrigação de propagar o evangelho sem misturas procurando mantê-lo puro e cristalino para que muitas outras pessoas conheçam a salvação da forma como foi oferecida por Jesus Cristo.

Quando é que o Evangelho é preservado puro? Em terceiro lugar veremos que o Evangelho é preservado puro quando PESSOAS NÃO FAZEM DO CULTO UM SHOW. “Não o fiz com ostentação de linguagem ou de sabedoria. Porque decidi nada saber entre vós, senão a Jesus Cristo e este crucificado”.

Nas campanhas políticas os candidatos procuram todos os meios possíveis de atrair pessoas para ouvir as suas promessas. Eles contratam grupos musicais famosos e trios elétricos potentes para fazer o som das músicas chegar muito longe e assim arrastar os foliões para perto de si. Depois de o povo ter se divertido, o candidato lança sua plataforma de governo e as suas promessas usando todas as técnicas para convencer o seu eleitorado. Um problema quanto a esse costume político é que essas atrações são muito caras e eles acabam fazendo negociatas políticas que comprometerão o seu futuro governo. Gastam para atrair o povo e depois os roubam para pagar as atrações.
Do mesmo modo, os comerciantes contratam pessoas para tocar e cantar ao vivo em frente às lojas ou em trios elétricos com o intuito de chamar a atenção do público para as mercadorias que estão oferecendo. Quando o cliente é atraído ele entra na loja e deixa lá o seu dinheiro suado, mas precioso para o lojista.

Assim como políticos e comerciantes, muitos pregadores têm feito shows para atrair multidões. Muitos pregadores fazem questão de colocar suas fotos em outdoors e anunciar a sua chegada através dos meios de comunicação. A atração do culto é o homem que fala, não o Deus que inspira o que deve ser adorado.
O culto também perdeu a sua característica de adoração. Virou um show. Acabei de receber dois crachás que davam direito a assistir ao show de um grupo musical famoso, assentado bem pertinho do palco. Os organizadores se comprometeram até a pagar parte do valor gasto com ônibus para os pastores levarem suas igrejas ao show. O grupo musical foi escolhido a dedo e, como esperavam, uma multidão assistiu ao “culto”. Depois da apresentação musical a pregadora falou de vários assuntos até chegar na oferta. O show foi de graça, mas depois de falar sobre a oferta, a sacolinha foi repassada entre os participantes do evento.

Filipenses 1.15-18, diz: “Alguns, efetivamente, proclamam a Cristo por inveja e porfia; outros, porém, o fazem de boa vontade; estes por amor, sabendo que estou incumbido da defesa do evangelho; aqueles, contudo, pregam a Cristo, por discórdia, insinceramente, julgando suscitar tribulações às minhas cadeias. Todavia, que importa? Uma vez que Cristo, de qualquer modo, está sendo pregado, quer por pretexto, quer por verdade…”. Paulo enfrentou as divergências na proclamação do evangelho com muita sabedoria. Seu intuito era ver o nome de Jesus sendo pregado. Mesmo que tivessem o objetivo de denegrir o nome de Jesus, uma vez que falavam do seu evangelho o Espírito Santo faria com que a mensagem certa chegasse ao coração do ouvinte da forma correta. A respeito disto, ouvi um depoimento de uma mulher que estava se preparando para ser “mãe de santo” em salvador e nos seus últimos preparos a chefe do terreiro lhe chamou em particular e disse: “Filha, nós temos todo poder a nossa disposição. Você poderá fazer o bem ou o mal a quem você desejar. Apenas um aviso eu lhe dou: não mexa com os crentes porque eles têm um Espírito forte e não podemos nada contra eles”. A quase mãe de santo saiu do terreiro pensando: “Se existe um Espírito mais forte do que aquele que eu sirvo, então eu quero o mais forte”. Entrou numa igreja evangélica e hoje é uma crente. O evangelho, mesmo tendo sido pregado às avessas foi usado pelo Espírito Santo para a conversão daquela mulher. Mesmo que os show possam ter algo de errado, uma vez que eles tenham mensagens que proclamem o evangelho, eles ainda serão usados por Deus como instrumento para a conversão de pessoas.
A questão a respeito dos “Shows cultos” é que o show visa satisfazer o ouvinte e a satisfação do ouvinte não é a preocupação do evangelho, pelo contrário, a pregação do evangelho visa glorificar a Deus e sua propagação deve produzir no ouvinte um desconforto geral em relação à sua vida pecaminosa ao ponto de fazê-lo renegar os seus costumes errados e optar por servir a Deus.
Creio que atrair multidões com shows é válido e muito útil na proclamação do evangelho, desde que não se perca o alvo principal do culto – A adoração a Deus. O centro do culto é Deus. É para isso que nos reunimos em culto, mas se o homem for priorizado nessa atração de pessoas às igrejas corre-se um sério risco de colocar o homem no centro e o culto ser voltado para o homem ao invés de a preocupação central ser a glorificação de Deus.
Paulo deixa claro que ele não fazia do culto um show. Ele usava os cultos para ensinar e muitas vezes ia até altas madrugadas ensinando o evangelho, pois tinha de aproveitar muito bem o tempo de que dispunha. Ele disse: “Não o fiz com ostentação de linguagem ou de sabedoria. Porque decidi nada saber entre vós, senão a Jesus Cristo e este crucificado”. Paulo procurou fazer do culto algo que não valorizasse tanto a pessoa do pregador, pois o principal era a mensagem. Por isso é que ele não buscou uma linguagem que mostrasse o quanto ele era sábio e bem preparado, pelo contrário, ele falava de forma simples e pregava apenas a Cristo, como sendo o único salvador dos homens.
Jesus atraía multidões a si sem gastar um único centavo. Ele usava apenas a verdade do evangelho como atrativo. Será que se eu desejar encher minha igreja com shows eu não terei de negociar a palavra para conseguir pagar as despesas? Será que vou conseguir fazer os participantes enfiar a mão no bolso sem fazer-lhes promessas que o evangelho não faz?  Será que vale a pena falsificar o evangelho para atrair pessoas às igrejas? Conheço muitas igrejas que optaram por esse caminho e a história delas confirma que esse caminho não foi vantajoso para o Reino de Deus. Elas, de fato, cresceram, mas a qualidade da vida espiritual de seus membros não serve como exemplo de um viver cristão sadio. Será que vale a pena negociar o evangelho para ter igrejas cheias? Não!
Quando é que o Evangelho é preservado puro? Em quarto lugar veremos que o Evangelho é preservado Puro e Cristalino quando OS PREGADORES TEMEM AO DEUS DO EVANGELHO.  “E foi em fraqueza, temor e grande tremor que eu estive entre vós”.
O profeta Elias fez um desafio aos profetas de Baal. Haviam 450 profetas de Baal e mais 400 profetas do poste ídolo (1 Reis 18.19). Os profetas pagãos se cortaram, gritaram, choraram e não aconteceu nada. Depois de muito tempo e muita humilhação para eles, Elias se levantou, fez um altar simples, como Deus exigiu que fosse feito, despejou água e depois orou. O fogo veio do céu como confirmação de que só existe um Deus e que qualquer outra manifestação de divindade é ação do diabo. Deus foi honrado diante dos homens porque o profeta Elias fez um culto em temor e tremor diante de Deus.
O rei Davi vivenciou as consequências da falta de respeito a Deus de uma forma trágica. A Arca do Senhor deveria ser trazida para Jerusalém, e Davi fez uma grande festa, com milhares de pessoas e músicos com diversos instrumentos. Mas ele se esqueceu que a Arca simbolizava a presença de Deus e não buscou saber qual era a vontade de Deus para aquela situação. A morte de um homem pôs fim à festa e à vontade de Davi de ter a Arca junto de si. Depois de entender que o erro estava na forma do culto e de levar a Arca, ele se corrigiu e ela foi levada para Jerusalém onde trouxe alegria ao povo e puderam ter consigo a presença do Senhor.
O Antigo Testamento, em especial o livro de Levítico, é cheio da tradição e dos rituais do culto. Ele mostra o ritual que era exigido por Deus na hora do culto. Esses rituais ensinavam ao povo que não se podia e nem se pode fazer do culto o que bem entendem, pelo contrário, existe um Deus a quem o culto deve glorificar. É Ele quem controla e define com clareza o que quer e como quer ser adorado.
Acabei de dizer que o evangelho será preservado puro e cristalino quando pessoas temerem ao Deus do evangelho. Isaías 42.8, mostra claramente o que Deus diz a respeito da glória dedicada a ele: “Eu sou o Senhor, este é o meu nome; a minha glória, pois, não a darei a outrem, nem a minha honra, às imagens de escultura”. Quando as pessoas envolvidas no culto se conscientizarem que o culto deve ser realizado nos moldes de Deus e não nos moldes dos homens, o culto será feito da forma correta e o evangelho não será adulterado para satisfazer a vontade dos homens. Paulo, que foi um dos guardiões do evangelho de Cristo em sua forma mais pura, disse: “E foi em fraqueza, temor e grande tremor que eu estive entre vós”. Paulo respeitava a Deus e por isso é que ele se portou com temor e tremor diante de Deus.
Os pastores têm uma tarefa difícil. Temos de trazer mensagens bíblicas várias vezes por semana. Essas mensagens não as temos premeditadas, pelo contrário, dependemos da inspiração do Espírito Santo para conseguir tirar da Palavra de Deus o ensino que a igreja necessita. Ao iniciar a tarefa de transmitir o ensino à igreja nós literalmente trememos. Com o passar do tempo esse temor é diminuído, mas não pode acabar. O problema surge quando o temor e o tremor são esquecidos e o evangelho é transmitido sem regras. Porém, quando o pregador teme a Deus, que é o Senhor da igreja, ele mantém por toda a sua vida o cuidado com o conteúdo e a forma de transmissão da mensagem de Deus. Esse temor não pode ser esquecido nunca.
Irmãos, gostaria de concluir fazendo-os se lembrar de minha introdução. O “olho d’água” com águas cristalinas do interior da Bahia era essencial para matar a sede do povo do local e era um local ideal para se aliviar do calor. A falta de cuidado com o local o destruiu e nada mais resta dele. Se alguém sentir sede e sua satisfação depender da água que saía de lá, morrerá. Os que estiverem com calor terão que se satisfazer com a sombra das árvores, pois água fresca agora, só de poço artesiano. Essa introdução visa mostrar-lhes o quando é difícil manter algo puro e incontaminado. O evangelho de Jesus foi deixado sob o cuidado da Igreja e cabe a mim e a você mantê-lo puro e cristalino. Não podemos deixar que nada venha contaminá-lo, pois se isto acontecer ele será como a fonte seca que não mata a sede de ninguém. Do mesmo jeito o evangelho adulterado não salvará ninguém!
Para MANTER O EVANGELHO PURO, Paulo ensina que é necessário:

· QUE PESSOAS SE DISPONHAM A EVANGELIZAR O PRÓXIMO.
Conscientize-se de que a tarefa de continuar pregando o evangelho também é tua. Se você não pregar, outros ensinarão outras coisas e a culpa será tua.

QUE PESSOAS ENSINEM APENAS O CONTEÚDO DO EVANGELHO.
O evangelho não precisa de acréscimos. Pregue o que você aprendeu e que te levou aos pés de Cristo. Pregue que Jesus morreu e deseja salvar os homens e só. Se não aceitarem essa mensagem, qualquer outra lhe será inútil.

· QUE PESSOAS NÃO FAÇAM DO CULTO UM SHOW.

Não busquem agradar ou impressionar aos homens fazendo shows na igreja. Preste o culto a Deus e evangelize. Não negocie a verdade do evangelho. O crescimento da igreja depende de Deus. Tentar agradar a homens é trair a Deus. Por causa dos shows é que poucas pessoas deixaram de se dispor a se apresentar ou pregar na igreja. Passaram a ter medo de não conseguir dar o show que a platéia espera e com isso perderam o que é primordial: o culto é para Deus e não para o homem.

· QUE OS PREGADORES TEMAM AO DEUS DO EVANGELHO.
Saiba que a igreja tem um Senhor e as regras são feitas por ele e não por você. No culto prevalecem as regras de Deus. Cultive a pureza do evangelho.

Que Deus tenha misericórdia de nós!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.